Prêmio ICE reconhece trabalhos acadêmicos sobre Finanças Sociais e Negócios de Impacto

 

A academia é o local onde, diariamente, surgem novas ideias para problemas enfrentados pela sociedade. Muitas vezes, alunos e professores chegam a novas soluções e propostas para questões de diversas áreas do conhecimento. Entretanto, não é raro que esses debates fiquem entre as paredes da universidade. Como uma forma de incentivar e reconhecer trabalhos acadêmicos sobre Finanças Sociais e Negócios de Impacto, estão abertas as inscrições para a quarta edição do Prêmio ICE Finanças Sociais e Negócios de Impacto.

A iniciativa do Instituto de Cidadania Empresarial (ICE) busca estimular a pesquisa científica, a reflexão e o aprofundamento sobre o tema. Adriana Salles, gestora do Programa Academia, iniciativa do ICE responsável pelo prêmio, argumenta que a ideia é não só premiar, mas reconhecer os trabalhos desenvolvidos pelos alunos. “Quando o programa foi criado, reunimos um grupo de professores para pensar quais seriam as principais estratégias para disseminar a temática de finanças sociais e negócios de impacto na academia aqui no Brasil. Um dos caminhos escolhidos foi a criação do prêmio, que tem um slogan: ‘Seu trabalho conhecido e reconhecido’”, defende.

Segundo a gestora, montar a chamada de projetos do ano seguinte a partir da divulgação dos finalistas da edição é uma forma de incentivar cada vez mais a pesquisa e a participação. “Essa é uma maneira de estimularmos tanto o orientador como novos alunos a desenvolverem projetos de pesquisa nesse campo. Ao financiar e apoiar o crescimento da pesquisa, acreditamos que estamos contribuindo para o fortalecimento desses negócios”, ressalta.  

Alunos de Graduação e Pós-Graduação Stricto Sensu (Mestrado e Doutorado), formados ou recém formados em instituições de ensino superior reconhecidas pelo MEC (Ministério da Educação), podem inscrever seus trabalhos. É possível, ainda que não obrigatória, a indicação de um professor orientador, que esteja de acordo com o trabalho submetido.

É necessário ressaltar que, para participar do prêmio, o trabalho precisa ter sido aprovado pela instituição de ensino que o aluno frequentou. Entretanto, em todas as categorias, os inscritos deverão enviar um artigo científico do trabalho que realizaram na universidade.

Seleção

Considerando que trata-se de uma seleção de trabalhos, os artigos inscritos serão avaliados por uma comissão julgadora formada por professores universitários das instituições de Ensino Superior parceiras do ICE e por especialistas da área.

O processo de seleção será dividido em duas fases. Na primeira, pelo menos dois professores irão avaliar os trabalhos no formato blind review (uma revisão anônima, sem revelar os autores do artigo) e escolherão os seis trabalhos com maior pontuação. Na segunda fase, os trabalhos também serão avaliados no formato blind review, mas por professores especialistas nos temas Finanças Sociais e Negócios de Impacto.

Ao todo, serão seis critérios de avaliação: aspectos metodológicos; conteúdo; fundamentação teórica; discussão e resultado; conclusão; e redação. Em aspectos metodológicos, por exemplo, os trabalhos serão avaliados de acordo com a delimitação do tema, apresentação do problema, dos objetivos e das justificativas de forma clara. Já em conteúdo, serão considerados: a afinidade e relevância do tema para o campo Finanças Sociais e Negócios de Impacto; a contribuição ao conhecimento; o domínio sobre o assunto; a sistematização e articulação das ideias; a capacidade de fundamentação, argumentação e reflexão crítica do autor; entre outros. A tabela de critérios que será considerada pela comissão julgadora está no regulamento, disponível na íntegra nesse link.

Ao final do processo, serão escolhidos primeiro e segundo colocados por categoria.

Na categoria Graduação, o trabalho em primeiro lugar receberá duas bolsas no valor de R$ 3 mil. Uma delas para formação acadêmica ou profissional do aluno (ou, em casos de trabalhos de coautoria, o valor será para o grupo) e a outra para formação do seu respectivo(a) professor(a) orientador(a), caso seja indicado(a). Já o segundo lugar receberá duas bolsas no valor de R$ 1500, com as mesmas finalidades.

As categorias Mestrado e Doutorado seguem o mesmo modelo de premiação, com a diferença dos valores. Para artigos científicos sobre a Dissertação de Mestrado, o prêmio será duas bolsas (para aluno e orientador) no valor de R$ 6 mil para o primeiro colocado e R$ 3 mil para o segundo. Já na categoria artigo científico sobre Tese de Doutorado, serão duas bolsas de R$ 8 mil para o primeiro colocado e seu orientador e R$ 4 mil para o segundo.

Outra possibilidade oferecida àqueles que participam a chamada de artigos é entrar em contato e conhecer o trabalho de colegas de outras regiões do país, fortalecendo a participação e discussão acadêmica. Adriana defende que a rede de professores também é responsável por disseminar o conhecimento acadêmico que chega ao prêmio.

“Como o Programa Academia é uma rede nacional de professores, esses docentes leem os trabalhos na hora de avaliar, disseminam e trocam informações. Só para dar uma ideia: no ano passado, foram 50 trabalhos inscritos no prêmio e 50 avaliadores. Cada professor vai lendo os artigos, aumentando seu referencial teórico e, a partir dessas leituras, eles se inspiram para sugerir novos temas e trabalhos de pesquisa. A gente faz o conhecimento circular, o trabalho sair da prateleira”.

Inscrições

Os interessados em participar da seleção devem preencher o formulário até o dia 31 de janeiro de 2018, a partir desse link. Os resultados da premiação serão divulgados no site do ICE em abril de 2018.

Eventuais dúvidas sobre o prêmio podem ser consultadas no site oficial do ICE ou encaminhadas para o e-mail: premioice@ice.org.br.

 

Via Instituto Filantropia